terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Franguinho de todo dia!

Há algum tempo atrás, minhas finanças eram bem magras.  Eu tinha fazer chover com muito pouco , quando eu digo muito pouco, leia-se quase nada. Um frango magro, um limão, alho e ervas roubadas de algum jardim. Sabe que não me lembro de comer um frango tão bom quanto aqueles. Dia sim dia também era frango,  na cerveja, com bacon, com legumes ou com alguma coisa roubada da geladeira da minha mãe.  Hoje em dia raramente como frango, não porque eu não goste, mas tomei um fartão.
Em compensação aprendi fazer maravilhas com ele. Os tempos de vacas magras, ou melhor, vaca nenhuma me trouxe um grande aprendizado; como fazer um franguinho virar um banquete.
  • 1 Frango gordo
  • 6 dentes de alho
  • Alecrim  ou outras ervas
  • 2 limões grande
  • sal e pimenta
  • manteiga
  • 1 saco ou 1 folha de celofane
Picar bem as ervas e reservar. Esmagar 3 dentes de alho com sal e pimenta, adicionar as ervas.
Temperar o frango por dentre e por fora com essa mistura de temperos. Com ajuda dos dedos separar a pele da carne e passar o restante do tempero entre eles. Com a ponta de uma faca furar o limão. Colocar o limão junto com os outros 3 dentes de alho dentro do frango. Fechar com a ajuda de palitos de dente. Colocar o frango no saco de celofane e espremer o suco do outro limão.
Fechar bem o saco.
Levar ao forno pré-aquecido a 200 graus por 40 minutos por quilo. Quando terminar o tempo, retirar do celofane e passar a manteiga em todo o frango até ficar bem brilhoso, voltar ao forno até dourar.  Reserve os sucos que ficaram dentro do celofane para comer junto com o frango.
Fica bem molhadinho. Bom de comer com uma salada ou frio com pão fresquinho.

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Verão!!

Meus verões sempre foram em Atlântida, mas não essa Atlântida de hoje. Era muito mais simples, menos gente, menos frescuras, menos jóias e saltos.
Nunca fui rata de praia, muito pelo contrario minha mãe tinha que me obrigar a ir para o sol, não gostava por os pés na areia e simplesmente odiava as tatuíras na beira do mar, se bem que isso continua igual.
Mas eu adorava os dias de semana que ficávamos na praia até tarde e almoçávamos no Bar do Tato. Pasteis de siri e porções de peixe rei frito. Isso que era verão!!
Hoje em dia tenho que me contentar com um que outro final de semana na praia. Mas tudo bem, continuo indo ao Bar do Tato e comendo porções de peixe rei frito. Nos outros dias faço casquinhas de siri, engana bem e eu me sinto de novo criança.
Casquinha de Siri
  • 500g de carne de siri limpa
  • 2 limões
  • Azeite de oliva
  • 1 cebola
  • 2 tomates sem pele e sem semente
  • 2 dentes de alho
  • 2 fatias de pão sem a casca e embebidos em leite
  • 4 gemas
  • 1 col de sopa de farinha de rosca
  • ½ col sopa de queijo ralado
  • Salsa, cebolinha, sal, pimenta do reino e pimenta vermelha a gosto.
Misturar bem a carne do siri com o suco de um limão. Reserve.
Em uma frigideira grande refogar a cebola e o alho até ficar dourado. Adicionar a carne do siri, tomate, as ervas e o pão. Temperar com sal e as pimentas. Cozinhe tudo por mais ou menos 8 minutos. Retire do fogo e adicione 3 gemas. Leve ao fogo por mais 2 minutos.
Unte  6 casquinhas ou pratinho ou 1 grande e rechei-as com essa massa. Pincele com a gema que sobrou as casquinhas e cubra com a mistura de queijo ralado e farinha de rosca.
Leve ao forno moderado pré-aquecido até ficarem douradas.